INE: Indivíduo com idade mínima de 15 anos que, no período de referência, se encontrava numa das seguintes situações: a) tinha efectuado trabalho de pelo menos uma hora, mediante pagamento de uma remuneração ou com vista a um benefício ou ganho familiar em dinheiro ou em géneros; b) tinha um emprego, não estava ao serviço, mas tinha uma ligação formal com o seu emprego; c) tinha uma empresa, mas não estava temporariamente ao trabalho por uma razão específica; d) estava em situação de pré-reforma, mas encontrava-se a trabalhar no período de referência.

Link para glossário do INE

EUROSTAT / OCDE: Empregados são definidos como indivíduos que trabalham para um empregador, têm um contrato de emprego e recebem remunerações sob a forma de rendimentos, salários, ordenados, gratificações, pagamento ou remuneração em géneros. Existe uma relação entre empregado e empregador quando há um acordo, que poderá ser formal ou informal, entre uma empresa e um indivíduo, no qual normalmente as duas partes entraram de forma voluntária, através do qual o indivíduo trabalha para a empresa, recebendo em troca uma remuneração em dinheiro ou géneros. Um trabalhador é considerado como recebendo um salário ou pagamento de uma entidade particular quando essa entidade lhe paga independentemente do local onde o trabalhador executa o trabalho. Trabalhadores de agências de emprego temporárias são considerados empregados dessas agências e não da entidade (cliente da agência) na qual estão a trabalhar. Indivíduos nas seguintes situações são considerados empregados: a) proprietários que executam trabalho remunerado; b) estudantes que detêm um compromisso formal, segundo o qual contribuem para o processo de produção de uma unidade em troca de remuneração e/ou serviços educativos; c) empregados com contratos desenvolvidos especificamente para encorajar o recrutamento de indivíduos desempregados; d) indivíduos que trabalham a partir de casa, desde que exista um acordo explícito segundo o qual este tipo de trabalhador é remunerado de acordo com o trabalho que executa e está incluído na folha de pagamentos. A definição de empregado inclui os trabalhadores em part-time, trabalhadores sazonais, trabalhadores em greve ou em baixas / licenças de curta-duração, mas exclui os indivíduos que se encontram com baixas / licenças de longa duração. Não estão incluídos os trabalhadores voluntários. Para efeitos do Labour Force Survey é usada a seguinte definição: empregados são os indivíduos que trabalham para um empregador público ou privado e que recebem compensações sob a forma de rendimentos, salários, ordenados, gratificações, pagamentos por resultados / objectivos ou pagamentos em géneros; estão também incluídos membros das Forças Armadas não recrutados

Link para glossário do EUROSTAT/ Link para glossário da OCDE

INSEE: Segundo o BIT (Bureau International du Travail), indivíduos empregados são aqueles que tenham trabalhado por um certo período de tempo, nem que seja uma hora, durante a semana que antecedeu o inquérito. Esta noção difere da utilizada no recenseamento da população, que considera empregados os indivíduos que declararam ter um emprego no formulário do recenseamento. A primeira definição é, portanto, mais abrangente que esta última. Alguns indivíduos podem, de facto, considerar que os empregos ocasionais não sejam objecto de declaração no recenseamento.

Link para glossário do INSEE

Indicador Associado:

Taxa de Emprego:

INE: Taxa que permite definir a relação entre a população empregada e a população em idade activa (população com 15 e mais anos de idade).

Link para glossário do INE

image_print